Brasil
20 de abril de 2013
Polícia Civil vai expedir mais mandados de prisão para policiais
G1 Vales de Minas Gerais

Participação de policiais em morte de jornalistas no Vale do Aço. (Foto tomada de www.uniblogbr.com)
Na noite desta sexta-feira (19), foram presos dois policiais civis suspeitos de envolvimento em 14 homicídios no Vale do Aço, em Minas Gerais. As prisões são temporárias para que os suspeitos passem por novas etapas de investigação.

A Polícia Civil disse que nenhum delegado vai se pronunciar até a conclusão das investigações e que os policiais presos podem estar envolvidos nas mortes de Rodrigo e Walgney. Ainda de acordo com a Polícia Civil, outros mandados de prisão serão cumpridos durante o fim de semana.

Intranquilidade

As prisões dos policiais foram realizadas no dia em que a chefia da Polícia Civil de Minas Gerais esteve em Ipatinga(MG) e anunciou a troca de comando da Delegacia Regional, além da chegada de um delegado corregedor ao município.

Durante a coletiva, o Chefe da Polícia Civil disse que os jornalistas do Vale do Aço podem trabalhar com tranquilidade. “Essa é a forma que vocês [jornalistas] escolheram para ganhar a vida. E nós vamos dar o retorno a vocês e, desde já, podem trabalhar com tranquilidade, porque a Polícia Civil vai coibir esse tipo de crime aqui na região”, diz Cylton Brandão da Matta.

Na imprensa da região o clima é de intranquilidade. No jornal e na rádio, onde os dois jornalistas assassinados trabalhavam, os empresários encontram dificuldades para conseguir jornalistas que queiram ocupar as vagas. “O profissional que ocupava a vaga do Rodrigo Neto, após a morte do Carvalho, pediu para para sair da editoria de polícia”, conta Breno Brandão, diretor do Jornal Vale do Aço.

Jornalistas disseram ao G1, por telefone, que testemunhas dos crimes foram levadas para fora do estado de Minas Gerais. Eles disseram também que quando procuraram o governo para apoio e proteção, foram orientados a não se exporem até que o caso seja solucionado.

Os crimes

Rodrigo Neto foi executado no dia 8 de março com três tiros, em uma movimentada avenida de Ipatinga. Ele foi surpreendido por motociclistas enquanto entrava em seu carro.

O fotógrafo Walgney Carvalho, assassinado com dois tiros, no último dia 14. Ele estava em um pesque-pague, em Coronel Fabriciano, quando também foi surpreendido por um motociclista que o atingiu pelas costas.

Fonte: http://g1.globo.com/mg/vales-mg/noticia/2013/04/policia-civil-vai-expedir-mais-mandados-de-prisao-para-policiais.html